Prêmio IBGC Itaú

IBGC imagem
boas vindas

Prêmio IBGC-Itaú – Categoria Academia


1º lugar – Pedro Bramont e João Souza Neto – Universidade Católica de Brasília

 “Maturidade em Governança Corporativa: Diretrizes para um Modelo Preliminar”

 

O estudo propõe diretrizes básicas para elaborar um modelo de maturidade em governança corporativa. Neste sentido, o trabalho sugere quatro diretrizes para que organizações implementem boas práticas de governança ou para que verifiquem aderência de seus modelos ao recomendado. Assim, a principal contribuição do estudo é concluir pela possibilidade de se desenvolver  um  modelo  de  maturidade  em  governança corporativa e oferecer um ponto de partida adequado para tal, permitindo estruturar a evolução organizacional em etapas predefinidas e mensuráveis.


Acesse o conteúdo do trabalho
clicando aqui.

 

2º lugar – Renata Fontes e Valmir Emil Hoffmann – Universidade de Brasília, e Rosilene Marcon – Universidade do Vale do Itajaí
 “Falta Monitoramento, sobra Assimetria Informacional”

 

O trabalho objetivou avaliar a atuação dos Conselhos de Administração das companhias  abertas  envolvidas  em  processos  administrativos  instaurados  pela CVM. Com base nos pressupostos da teoria da agência, foram avaliados 77 processos julgados entre 2007 e 2011. Tendo utilizado a análise de conteúdo como método de pesquisa, as evidências demonstram que os conselheiros: (i) reconhecem o poder do acionista controlador e se orientam pela maximização da riqueza deste, (ii) não se percebem como monitores da gestão, privilegiando as tarefas de serviço, (iii) desconhecem a legislação pertinente e (iv) carecem de qualificação técnica necessária para lidar com a complexidade que cerca o mundo corporativo. 


Acesse o conteúdo do trabalho
clicando aqui.

 

 

3º lugar – Alexandre Di Miceli da Silveira e Lucas Ayres B. de Barros – FEA/USP, Ricardo Pereira Câmara Leal (COPPEAD/UFRJ) e Patrícia Maria Bortolon (UFES)

 “Facing The Regulators: Non-Compliance with Mandatory Compensation Disclosure in Brasil”

 

No Brasil, diversas companhias lançaram mão de uma liminar judicial a fim de não cumprir a Instrução 480 da CVM no que concerne à divulgação da remuneração mínima, média e máxima da  Diretoria Executiva e do Conselho de Administração. O principal motivo para o não cumprimento, de acordo com as companhias, se baseia no argumento de que tal divulgação diminuiria a segurança pessoal de seus administradores. Os resultados, entretanto, evidenciam que a decisão de não cumprir as exigências da nova regulação provavelmente possui maior relação com os conflitos de agência presentes nessas companhias. Foi constado que a probabilidade de descumprimento da exigência da CVM é maior nas companhias com piores práticas de governança corporativa e maior concentração acionária. Observou-se ainda que a chance de não divulgação é maior nas companhias maiores e menos rentáveis. Por fim, um estudo de eventos mostra que as companhias com melhores práticas de governança que optaram por descumprir a norma da CVM sofreram destruição significativa de valor ao redor do anúncio de não divulgação.


Acesse o conteúdo do trabalho
clicando aqui.

 

Data

13 de março, quinta-feira.

Local

Sede do IBGC

Av. das Nações Unidas, 12.551 – 25º andar
São Paulo – SP

 

Horário

08h00 – Credenciamento
08h30 – Palestra e debate
11h00 – Encerramento

Investimento
Associados IBGC: Gratuito
Não sócios: R$ 120,00 (cento e vinte reais)

Este evento confere créditos junto ao Programa de Educação Continuada do Programa de Certificação de Conselheiros do IBGC (1 crédito)

Estacionamento

No local, por conta dos participantes.

linkedin twitter acompanhe
inscrevase
relacionamento telefone
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
site